Nike Breaking2Os corredores

Capítulo 03

Os corredores

Os corredores

Como avaliamos o potencial de uma pessoa para fazer algo que ninguém conseguiu fazer antes?
Algo que muda totalmente a forma como encaramos os limites humanos?

Essas foram as questões que a equipe científica da Nike teve que responder para encontrar os corredores que desafiariam a marca de duas horas em uma maratona. Com as melhores mentes nas áreas de fisiologia, corrida e desempenho atlético, a equipe desenvolveu uma bateria de testes para identificar não só os corredores mais rápidos do mundo, mas também aqueles que poderiam ser ainda mais rápidos.

Após os testes, três corredores se destacaram por sua capacidade de quebrar a barreira das duas horas:
Lelisa Desisa, da Etiópia; Eliud Kipchoge, do Quênia; e Zersenay Tadese, da Eritreia. Três países diferentes, três carreiras absolutamente distintas, agora reunidas para encontrar o caminho mais rápido para percorrer 42.195 metros.

Lelisa Desisa

“A ciência ajudou a desenvolver muitas coisas: eletricidade, carros, aviões, celulares, câmeras, satélites”
-Lelisa

Lelisa Desisa

Lelisa Desisa

27 Anos, Etiópia

O mais jovem entre os corredores, Lelisa correu uma das maratonas mais rápidas da história, com o tempo de 2:04:45 na maratona de Dubai, em 2013. Já venceu duas vezes a maratona de Boston, em 2013 e 2015, e sua melhor marca pessoal em meia maratona é de 59:30.

O que não falta para Lelisa é confiança. Ao ser questionado se achava que conseguiria vencer a maratona de Boston antes da sua primeira vitória aos 23 anos, sua resposta foi direta e sucinta: “Tinha 100% de certeza”. Mas não seria adequado chamá-lo de jovem impetuoso. Ele devolveu a medalha que conquistou naquela ocasião à cidade de Boston em homenagem às vítimas da trágica explosão que ocorreu algumas horas depois da sua vitória. Mais introvertido do que comunicativo, Lelisa demonstra uma discreta confiança em suas conquistas, em vez de satisfação pessoal. Não é uma característica surpreendente para quem diz se inspirar nos renomados corredores etíopes que vieram antes de si. (Espera um dia ter seu rosto exibido em outdoors, como eles). Seguir os passos de alguns dos maiores corredores de longa distância de todos os tempos faz aflorar a humildade de qualquer corredor.
Lelisa Desisa
Talvez por isso Lelisa venha se mostrando tão receptivo e até mesmo ansioso para aplicar as ideias e dicas da equipe de pesquisa do Breaking2. Apesar da juventude de Lelisa transparecer menos experiência, ele também está mais aberto a novas experiências. “Ele tem se mostrado muito receptivo e disposto a colocar em prática as sugestões que lhe damos. Ele quer aproveitar tudo o que temos a lhe oferecer e muito mais", declara o Dr. Brett Kirby, pesquisador do laboratório esportivo da Nike e fisiologista-chefe do Breaking2.

Lelisa não conseguiu quebrar a marca de 2:10 em suas últimas quatro maratonas, mas, com a ajuda da equipe, ele está mudando seu treino e sua preparação: mais trabalho de velocidade, menos volume bruto e muito foco na nutrição.

“A ciência ajudou a desenvolver muitas coisas: eletricidade, carros, aviões, celulares, câmeras, satélites. Foi assim que criamos os aviões, com base no voo dos pássaros. Os melhores cientistas dizem que [Breaking2] é possível. Por isso, a ciência é capaz de realizar [esse projeto] também", explica Lelisa.

Eliud Kipchoge

“Correr nada mais é do que pensar. Se o seu pensamento é incompleto, você não vai conseguir terminar, por isso você precisa estar totalmente focado e pensar positivamente”.
-Eliud

Eliud Kipchoge

Eliud Kipchoge

32 Anos, Quênia

Eliud é o atual medalhista de ouro nas Olimpíadas na maratona masculina. Com sete vitórias em oito maratonas em sua carreira, é considerado por muitos o melhor maratonista do mundo atualmente. Seu melhor tempo de 2:03:05, o terceiro melhor até hoje, foi conquistado na maratona de Londres no ano passado.

Na última década, Eliud tem marcado presença constante no primeiro escalão da corrida de longa distância, uma prova da sua atuação consistente e focado.

Embora seus dotes fisiológicos e ética de trabalho sejam reconhecidos internacionalmente, a raiz do seu sucesso constante pode ser atribuída ao seu domínio do aspecto mental da corrida.

Ele explica: “Correr nada mais é do que pensar. Se o seu pensamento é incompleto, você não vai conseguir terminar, por isso você precisa estar totalmente focado e pensar positivamente”. É por isso que ele treina em um campo de estilo residencial e sossegado, na altitude da cidade de Eldoret, no oeste do Quênia, longe de casa e da família.
Eliud Kipchoge
Até mesmo seu estilo de corrida demonstra um controle profundo da tênue linha que separa a acuidade mental e a execução física: um estado de equilíbrio sereno, mesmo em velocidades vertiginosas a mais de 2000 m acima do nível do mar.

“Quando você o vê correndo a um ritmo extraordinário em uma prova, percebe sua absoluta tranquilidade. Seu método é firme, mas é possível ver nos seus olhos que está executando o programa. Ele sabe o que deve ser feito”, declara Philip Skiba, médico e engenheiro de desempenho do Breaking2.

Embora seja grande a convicção pessoal de Eliud de que é capaz de quebrar a marca de duas horas, sua determinação para tentar esse feito é ainda maior. “Primeiro, para dizer ao mundo que o sentido da vida é avançar e ver até aonde você pode chegar”, explica Eliud. “E, em segundo lugar, para provar que nenhum ser humano é limitado. Essa é a minha mensagem”. Se existe alguém com a determinação mental necessária para superar a enorme exigência física desse desafio, essa pessoa é Eliud.

Zersenay Tadese

“Porque, quando apontam seus pontos fracos e fortes, você se sente ainda mais motivado para atingir sua meta da melhor forma”.
-Zersenay

Zersenay Tadese

Zersenay Tadese

34 Anos, Eritreia

Zersenay já participou de quatro Olimpíadas e é pentacampeão mundial da meia maratona.

É o recordista mundial na meia maratona masculina, com o tempo de 58:23.

A carreira de Zersenay na corrida começou como um plano alternativo. Na adolescência, seu desejo era se tornar um ciclista profissional, mas isso foi antes de ser lançado nas competições de atletismo por caçadores de talentos locais.

Apesar de ter começado tarde, ele logo despontou como um dos melhores corredores de longa distância do mundo, e agora, mais de uma década depois, é um dos mais bem sucedidos.

Apesar de ser parecido com Eliud em sua tranquilidade, Zersenay, um corredor de elite famoso por seu estilo agressivo, é mais bem caracterizado por um fogo ardente do que pela serenidade “Zen” de Eliud. Determinado a transformar qualquer prova em um desgastante teste de velocidade e persistência, Zersenay está longe de ser o adversário favorito de qualquer corredor.
Zersenay Tadese
Talvez por isso mesmo sua velocidade no recorde mundial de meia maratona não tenha trazido o sucesso esperado na maratona, onde sua melhor marca prova é de “apenas” 2:10:41. Mesmo assim, apesar desse aparente paradoxo, sua escolha não gera surpresa quando descobrimos que sua fisiologia é praticamente inigualável.

O Dr. Andy Jones, fisiologista do Breaking2, declara: “sua economia de corrida é excepcional.

Observando seus números na esteira e na pista, podemos dizer que ele é a nossa melhor promessa”.

Levando em consideração seu potencial fisiológico e o fato de que Zersenay não deu a devida atenção à sua nutrição e hidratação nos treinamentos para as maratonas anteriores (ele admite que quase não bebeu água durante suas provas), há uma grande possibilidade de que ele tenha o maior potencial inexplorado entre os três corredores, apesar de ser o atleta com maior necessidade de superação.

Enquanto os pesquisadores do Breaking2 buscam formas de revelar seu potencial em maratonas, Zersenay afirma: “Honestamente, isso me dá mais força. Porque, quando apontam seus pontos fracos e fortes, você se sente ainda mais motivado para atingir sua meta da melhor forma”. Somente o tempo dirá se isso é suficiente para alcançá-la.

Quando Lelisa, Eliud e Zersenay assumirem suas posições na linha de largada para tentar quebrar o recorde de duas horas, darão início aos 42,195 km que podem definir cada quilômetro que já percorreram em suas corridas anteriores.